A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial convoca startups para ajudar Brumadinho

A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial convoca startups para ajudar Brumadinho

Em comunicado, agência pede que empreendedores ajudem em tecnologias de reconhecimento facial via drones, logística para alimentos e doações

A ABDI Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, ligada ao Ministério da Economia, convocou por meio de suas redes sociais startups brasileiras que possam ajudar a minimizar a tragédia que acometeu Brumadinho (MG), onde uma barragem da Vale se rompeu na sexta-feira (25). A última atualização sobre o acidente consta que há, ao menos, 37 mortos, 81 desabrigados, 23 feridos em hospitais e 256 desaparecidos, segundo os bombeiros, esses números mudam a cada momento.

A ABDI pede que empreendedores ajudem em tecnologias de reconhecimento facial via drones, logística para alimentos e doações. “A ABDI convoca todas startups e empresas que possam ajudar com a sua tecnologia para minimizar a tragédia em Brumadinho. Se você tem alguma solução que envolva reconhecimento via drones, mapeamento de solo, logística para alimentos, doações, entre em contato com a gente pelo e-mail abdi@abdi.com.br”, diz a agência em comunicado publicado em sua conta no Twitter.

As startups Rappi e iFood estão com ações para ajudar vítimas da tragédia. Pelo app Rappi, é possível fazer doação de água. A cada retirada, a empresa concede mais um produto. Já a iFood informa que a cada prato comprado pelo aplicativo, outro é repassado a Brumadinho, por meio de uma parceria com a ONG Ação Cidadania.

A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial convoca startups para ajudar Brumadinho

Satélite Italiano

Já embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini, também revelou nesta segunda-feira (28) que foi disponibilizada tecnologia italiana para ajudar na operação em Brumadinho (MG), onde as autoridades brasileiras buscam cerca de 292 desaparecidos, após o rompimento da barragem de Feijão.

De acordo com uma publicação do diplomata no Twitter, a “Telespazio está agora fornecendo mapas detalhados baseados no uso de imagens de satélite, em particular, as imagens de radar Cosmo SkyMed e imagens ópticas de Santinel 2A”.

As informações recolhidas pelos satélites do projeto italiano Cosmo-SkyMed já são utilizadas com sucesso no Brasil, onde a Telespazio atua desde 1997, através de sua controlada Telespazio Brasil.

A empresa atua no monitoramento ambiental e de segurança – como a perda de petróleo de plataformas no mar, controle de deslizamentos – além do apoio à agricultura e para aplicações em questão de defesa, por exemplo. (ANSA)

Fonte: IDG NOW! – Época