Facebook Google e Microsoft defendem que IA ajudará profissionais a se tornarem mais eficientes

Facebook, Google e Microsoft defendem que IA ajudará profissionais a se tornarem mais eficientes

A inteligência artificial não substituirá profissionais, mas sim transformará suas funções, que serão mais eficientes por meio das tecnologias de automação. É o que defendem gurus de gigantes envolvidas com o tema: Facebook, Google e Microsoft.

Yann LeCun, do Facebook; Peter Norvig, do Google; e Eric Horvitz, da Microsoft – chefes de pesquisa de cada companhia, participaram de uma sessão de perguntas no Reddit no início desta semana para discutir o polêmico tema. Os três são membros da Associação Norte-americana para o Avanço da Ciência (AAAS) e, como tal, não representavam as respectivas empresas durante a sessão.

Quando questionado sobre quais trabalhos eram mais susceptíveis de serem substituídos pela IA e que pareciam ser mais seguro para a próxima geração, cada um respondeu com otimismo.

Horvitz, da Microsoft, afirmou que vê muitas tarefas como sendo suportadas e não substituídas por uma automação mais sofisticada. “Estas incluem o trabalho nos domínios da arte, a exploração científica, os trabalhos onde a manipulação física fina é importante e nos inúmeros empregos em que sempre confiamos em pessoas para trabalhar e cuidar de outras pessoas – incluindo ensino, orientação, medicina, cuidados sociais e educar as crianças na idade adulta. No último, espero ver o aumento e o apoio de uma “economia carinhosa” ainda mais famosa em um mundo de automação crescente.”

Com os trabalhadores em parceria com a automação, podemos passar tarefas perigosas para máquinas, o que resultará em menos ferimentos, mortes e processos judiciais. Ainda de acordo com os especialistas, veremos muitas mudanças durante um longo período de tempo, mas poucos setores estão de fato em cheque. Muitas vezes, os empregos são eliminados porque são desnecessários no mundo moderno – como o operador da call center. Mas na maioria das vezes, as pessoas se adaptam.O medo com a automação é que a IA está criando uma nova “espécie” de trabalhador (máquinas) que estará em concorrência direta com humanos. Mas esse não é o caso, como observa Norvig.

“Eu acho que faz mais sentido pensar em tarefas, não em carreiras. Se um aspirante a um piloto comercial pediu assessoria em 1975, um bom conselho seria: você gosta de decolar e pousar? Você pode fazer isso por muitos anos por vir. Você gosta de longas horas de voo constante? Desculpe, essa tarefa será quase totalmente automatizada. Então, acho que a maioria dos campos são seguros, mas a mistura de tarefas que você faz em qualquer trabalho irá mudar, o salário relativo de diferentes carreiras irá mudar, e o número de pessoas necessárias para cada trabalho irá mudar.”

Fonte: IDGNOW!